Conheça os diferentes tipos de escola e linhas pedagógicasLeitura de 6 minutos

Tendências em educação 6 de março de 2020
Duas crianças com pincéis escolhendo tinta em uma sala de artes com quadros. Imagem representa um dos tipos de escola fora da linha tradicional

author:

Conheça os diferentes tipos de escola e linhas pedagógicasLeitura de 6 minutos

Encontrar a escola ideal não é uma tarefa fácil para as famílias. Além de se identificar com a metodologia, preço da mensalidade escolar, distância e deslocamento, ainda existe uma questão principal: como escolher entre os diferentes tipos de escola e suas linhas pedagógicas? 


É essencial conhecer bem qual é a linha da sua escola, já que essa será a base da formação das crianças e adolescentes e será o direcionamento de toda a metodologia, desde como o conteúdo é abordado até a forma em que o professor atua em sala de aula. 


Quais são os melhores tipos de escola?


Para responder a essa pergunta, não existe uma resposta exata. A escolha dos melhores tipos de escola para um aluno vai depender de diferentes fatores que são pessoais para cada indivíduo. Além de questões econômicas e geográficas, é necessário levar em consideração se a metodologia da instituição combina com os valores da família.


Não existe uma linha pedagógica certa ou errada, mas sim uma que se adeque melhor para o que você espera da educação. Confira alguns dos tipos de escola mais utilizados no Brasil:


Tradicional 


Essa é a linha pedagógica mais comum e provavelmente a que você conhece. Surgiu no século XVIII com o objetivo de universalizar o conhecimento e continua sendo a mais popular nas escolas brasileiras. É focada em transmitir conhecimento e preparar os alunos para o vestibular.


A pedagogia tradicional utiliza um método de ensino sistematizado com os professores estando ao centro da aprendizagem, transmitindo conhecimento aos alunos. São utilizadas provas e avaliações periodicamente para medir o que foi absorvido pelos estudantes, podendo reprovar e até repetir de ano. 


Comportamentalista


Similar à linha tradicional, as escolas comportamentalistas têm foco em técnica, processos e materiais. O ensino é bem planejado com materiais programados e controlados para serem bem mensurados. O grande objetivo é que os alunos sigam um comportamento desejado de acordo com as necessidades sociais determinadas. 


O professor também é o responsável por transmitir o conhecimento e as avaliações são feitas por meio de provas com feedbacks constantes. Neste tipo de escola, os alunos são vistos como pessoas que aprendem com estímulos e que devem ser recompensadas. 



Construtivista


Para começar a falar sobre os métodos alternativos de ensino, o construtivismo coloca o aluno como o protagonista que deve construir seu conhecimento. Eles formulam hipóteses, resolvem problemas e trabalham sua autonomia. Já os professores agem como mediadores.


Essa linha pedagógica foi desenvolvida pelo filósofo Jean Piaget com ênfase no aspecto cognitivo. As aulas vão além do método expositivo e exploram elementos artísticos, como música e dramatização. As crianças são organizadas em ciclos e devem aprender coisas novas com base no que elas já sabem.


As provas convencionais não precisam ser utilizadas, mas algumas escolas brasileiras promovem a sua própria forma de avaliação. 


Veja mais: Metodologias ativas de aprendizagem: quais são os benefícios?


Montessoriana


Essa metodologia foi criada pela educadora italiana Maria Montessori, no início do século XX, e é baseada no princípio da experiência concreta e da observação. O aluno utiliza o conhecimento que já tem para assimilar novos conceitos, descobrindo a aprendendo com a prática e respeitando o seu próprio ritmo. 


As salas de aula têm em média 20 alunos com diversos materiais disponíveis. As atividades ficam dispostas e cada estudante pode escolher o que vai aprender no dia, mas todos devem cumprir os módulos obrigatórios para continuar avançando. As salas podem ser organizadas por séries ou por ciclos, com diferentes idades trabalhando juntas. 


O objetivo desses tipos de escola é que os alunos tenham responsabilidade pelo seu aprendizado. Podem ser aplicadas provas ou não, já que os professores também avaliam por meio de registros sobre as produções realizadas. Também pode ser feita uma monografia ao final do ensino fundamental e médio. 


Waldorf


A pedagogia Waldorf foi criada pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner em 1919. Essa linha considera o aluno em seu todo: corpo, alma e espírito. Assim, prioriza todas as suas necessidades físicas, individuais e sociais e não somente o intelectual. 


Os ciclos são definidos de sete em sete anos: de 0 a 7, de 7 a 14 e de 14 a 21 anos de idade. Para cada etapa, a turma tem um tutor fixo que os acompanha durante todo o ciclo e faz avaliações por meio de anotações. Não é possível repetir um ciclo, já que se leva em conta a abordagem biológica de cada indivíduo. 


A alfabetização começa somente no segundo ciclo, após os 7 anos de idade, e o primeiro ciclo trabalha o desenvolvimento integral da primeira infância, com ênfase em artes e trabalhos manuais, como marcenaria, culinária e costura, além de utilizar somente brinquedos feitos de materiais mais simples, como madeira e tecido.


Leia mais: Como motivar e engajar os alunos em sala de aula 


O que mais diferencia esse tipo de escola da tradicional é que não existe preocupação com horários e conteúdos aprendidos, mas sim com etapas de desenvolvimento de cada estudante. 


Democrática


Esses tipos de escola é baseada na escola Summerhill, criada na Inglaterra em 1920. Diferente da linha tradicional, os alunos escolhem como querem aprender o conteúdo de acordo com os seus interesses, sem seguir um cronograma padrão. O professor trabalha como um facilitador e se reúne com estudantes, responsáveis e colaboradores em assembleias e reuniões com toda a comunidade escolar. 


Não existem provas ou lições de casa, as avaliações são feitas por participação e trabalhos, que podem ser escritos ou artísticos, por exemplo. O grande objetivo do método democrático é a liberdade dos alunos. 


Freiriana


É baseada nos conceitos do filósofo e educador brasileiro Paulo Freire, levando em consideração os aspectos humanos, sociais e culturais dos alunos. Esses tipos de escola são mais voltados para a alfabetização e procuram ouvir o aluno para que ele possa entender o mundo pelo seu conhecimento e construir autoconfiança. 


Os princípios defendidos por essa linha pedagógica são o bom senso, humildade, tolerância, respeito e curiosidade. A educação é vista como uma ferramenta de libertação e o conhecimento transforma o estudante em alguém capaz de mudar o mundo. Originalmente não são previstas provas, mas algumas escolas utilizam métodos de avaliação. 


Fonte:

Novos alunos

Escola Educação

Educação Uol 


         
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *