Microlearning: conceito e dicas preciosas para sua implementaçãoLeitura de 6 minutos

Práticas pedagógicas Tendências em educação 29 de março de 2022
Aluna e professora estudando juntas com tablet na sala de aula

author:

Microlearning: conceito e dicas preciosas para sua implementaçãoLeitura de 6 minutos

Danielle Gonzaga
Pedagoga e assessora de Implantação da Agenda Edu



Um grande desafio encontrado diariamente por educadores de todo mundo é manter os discentes focados em suas atividades, fazendo com que a aprendizagem seja intensa e significativa. Para isso vale TUDO: seja fazer conexões com a realidade do educando, integrar elementos diretamente ligados aos seus interesses (como tecnologias digitais, redes sociais) ou até mesmo fragmentar o conteúdo em doses menores, foco do nosso artigo. Isso mesmo, hoje vamos trabalhar com o conceito de microlearning e os passos para sua implementação. 


Começando pelo seu conceito


O termo tem origem no inglês e significa “micro aprendizagem”. Como seu nome mesmo explicita, a principal proposta dessa abordagem é transformar os conteúdos trabalhados em pílulas de aprendizagem de curta duração, que juntas representam o conhecimento integral sobre o assunto/conteúdo. 


O principal objetivo é conseguir manter 100% da atenção do aluno direcionada aos estudos nesse período e permitir que ele possa assimilar as informações com maior facilidade. 


Como superar os desafios da educação em 2022


Mas de onde surgiu essa história de microlearning? Calma que vamos te contar tudo 🗣️


Origem do termo microlearning


Segundo o blog Eleva, a abordagem é recente, pensada nos diversos estímulos que recebemos diariamente, principalmente em um cenário de ensino remoto ocasionado por conta da pandemia do novo Coronavírus, afinal, não é fácil se manter focado em longas videochamadas sem obter contato com colegas e professores.


Mas antes de fazer parte do leque de possibilidades da instituição escolar, empresas espalhadas pelo mundo já adotavam a abordagem para oferecer formação continuada para seus colaboradores. Os conteúdos considerados significativos para seu crescimento pessoal/profissional já eram compartilhados a partir de podcasts, tutoriais, textos e jogos com a duração média de 8 minutos cada. 


Mas antes de falar de seus benefícios e implementação, é importante destacar que essa abordagem por si só não é suficiente para promover uma aprendizagem efetiva. Uma formação que mescle atividades assíncronas com dinâmicas de grupo é ainda melhor. Nada substitui a interação aluno/professor e aluno/aluno e as trocas de experiências que pode ocasionar. 


5 tendências da educação para 2022: o que podemos esperar


Alguns benefícios do microlearning


  • Favorece o protagonismo do aluno que pode montar suas próprias trilhas de aprendizagem (ordenando os conteúdos sugeridos); 
  • Permite que a criança possa escolher por qual dispositivo quer estudar;
  • Trabalha com materiais simples de produzir e extremamente personalizáveis (como slides ou vídeos gravados pelo próprio professor). Com isso, é possível focar nos pontos em que a turma possui maior dificuldade ou agregar elementos que os estudantes apreciem (como músicas, trechos de séries, memes) para tornar o conteúdo mais leve;
  • Otimiza o tempo dos professores e alunos;
  • Possibilita uma melhor assimilação do conteúdo estudado pelo aluno (o que deve ser complementado com atividades práticas para que a criança possa exercitar e fixar o que aprendeu);
  • Por ser digital, não requer novas verbas ou materiais de alto custo.

#dicaAgenda: Que tal usar as técnicas de microlearning para dar spoilers de suas aulas presenciais, despertando o interesse de seus alunos? Experimente fazer um vídeo de alguns segundos trazendo o que será trabalhado durante a semana e depois compartilha aqui com a gente! 💜


Como gravar vídeos e editar suas aulas online


Como implementar?


Pense seu planejamento nesse novo formato: fragmente os conteúdos em pílulas do conhecimento. Não esqueça de se certificar que o conjunto de pílulas contempla as metas planejadas para aquele período, além de mensurar o tempo que será direcionado e os recursos necessários;


Nesse formato, objetividade é tudo, então seja estratégico. Utilize narrativas atrativas e exemplos que despertem a curiosidade do estudante para se aprofundar na temática estudada. Faça uma curadoria de materiais sobre o tema e ofereça como elementos complementares; 


Lance o desafio de volta para as crianças: para identificar se os alunos gostam e se identificam com a abordagem, considere implementar como método avaliativo a produção de  pequenos podcasts/vídeos ou  outros recursos digitais pelos alunos com base naquilo que aprenderam. Esse material pode até ser utilizado como inspiração e material de apoio para turmas futuras;


Utilize abordagens combinadas: microlearning e gamificação, por exemplo, são uma combinação dos sonhos.  


Organize BEM seus recursos: lembre-se que por serem conteúdos fragmentados, o volume de materiais que você precisará elaborar será bem maior. Mantenha tudo ajustado de forma que seja fácil identificar a revisar em um momento posterior. 


Gostou das dicas que separamos para você? Qual você implementaria no seu cotidiano?


Conta aqui nos comentários e não esqueça de assinar nossa newsletter para receber mais conteúdos do nosso blog. 


Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos sobre o universo educacional, produzidos pela Agenda Edu

* obrigatório

Fontes:


Blog Eleva 

DNA Conteúdo Digital

Sebrae

Você RH


         
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *