Sequências didáticas: o que é e como fazer?Leitura de 4 minutos

Práticas pedagógicas 23 de janeiro de 2020
Professora fazendo atividade com alunos em sala de aula

author:

Sequências didáticas: o que é e como fazer?Leitura de 4 minutos

Todos os anos, os professores se deparam com novos desafios, tendências pedagógicas, culturais e sociais para definir os conteúdos e atividades. Ao colocar em prática um novo planejamento escolar e para auxiliar na organização durante bimestres e semestres, você pode experimentar as sequências didáticas.


Os professores sempre se deparam com o desafio de fazer aulas cada vez mais dinâmicas e que engajem os alunos, mas qual é a melhor maneira de ensinar o conteúdo de forma eficiente e ao mesmo tempo interessante? As sequências didáticas ajudam a definir os seus objetivos e conectar os alunos com a matéria. 


Esse método de ensino é composto por um planejamento organizado com um guia de de aulas e atividades para ensinar e acompanhar se o os alunos estão assimilando um determinado conteúdo, o que precisa ser revisto e qual é o próximo passo. 


As etapas das sequências didáticas


Para planejar as suas sequências didáticas, você deve seguir alguns passos para acompanhar o seu desempenho e dos alunos. É importante lembrar que o fluxo sempre vai depender de cada turma, podendo ser mudado e adaptado. Confira as principais etapas: 


1. Definir conteúdo e objetivo


O primeiro passo, e mais importante, é definir o conteúdo e objetivo das sequências didáticas. Sabendo bem o que você espera que os alunos aprendam, fica mais fácil escolher quais metodologias serão aplicadas e aonde você quer chegar. O conteúdo é o que você vai ensinar e o objetivo é o que espera-se que os alunos aprendam.


Leia também: Saiba como ter um planejamento escolar eficiente 


Para chegar até as sequências didáticas, primeiro deve ser definido o planejamento escolar anual em parceria com coordenadores e diretoria. A partir dele, você vai começar a elaborar os conteúdos e atividades específicas para cada período.


2. Sondagem


Antes de introduzir o assunto aos alunos, é importante fazer uma sondagem para determinar o que eles já sabem sobre conteúdos anteriores. Lembre-se que não basta perguntar: “o que vocês sabem sobre este assunto?”, mas sim criar dinâmicas para o aluno entrar em contato com a prática, já que esta já uma etapa de aprendizagem. 


3. Técnicas e ferramentas


Para definir quais técnicas e ferramentas serão aplicadas nas sequências didáticas, tenha em mente o que pode ser utilizado para facilitar a compreensão dos alunos, desde referências, conteúdos digitais, materiais escolares, seminários, entre outros. 


Pense quais são as melhores maneiras de organizar a turma, explorando atividades em grupo (para compartilhar ideias), em dupla (para debater opiniões) e individuais (para colocar em prática o que foi aprendido). Cada opção tem as suas vantagens e o momento ideal para acontecer.


Aproveite o seu planejamento de sequências didáticas para utilizar abordagens diferentes, como a disciplina positiva. Desta forma, você vai encorajar os alunos e trabalharem sua autonomia e confiança.


Leia também: Disciplina positiva: o que é e como usar nas escolas?


4. Registro e avaliação


Todo o andamento das aulas deve ser observado e registrado para acompanhar a evolução das sequências didáticas e estabelecer o que foi aprendido e o que deve ser revisado. Assim, você também pode antecipar quais podem ser as dúvidas mais frequentes e como resolvê-las. 


Para escolher o método de avaliação mais adequado, leve em consideração que cada turma tem necessidades específicas e cada aluno é único. Além de provas e trabalhos, todas as observações feitas ao decorrer das sequências didáticas, desde a sondagem até os momentos finais, são indicadores de aprendizado. 


Flexibilize suas sequências didáticas


Um dos pontos mais importantes das sequências didáticas é ser flexível e adaptável para todos. Existem grandes chances de termos alunos com necessidades educacionais especiais (NEE) em uma turma, então antecipe-se durante o planejamento. 


Não deve ser feito um plano separado para este aluno, o objetivo nunca pode ser excluir ou segregar, e sim incluir. Prepare sequências didáticas que sejam acessíveis para todos e contemplem as necessidades de cada um.


Leia também: Dificuldade de aprendizagem: como ajudar os alunos a contorná-la?


Nesta situação, o ideal é contar com um profissional de Atendimento Educacional Especializado (AEE) para orientar professores, alunos e coordenadores em todas as etapas. A inclusão deve ser feita em toda a escola e não somente na sala de aula. 


Benefícios das sequências didáticas


Como você já deve ter percebido, as sequências didáticas requerem um grande planejamento com o conteúdo anual que vai ser passado para os alunos. Elas devem ser flexíveis, inclusivas e acompanhadas de perto. Isso significa um aprendizado cada vez mais bem orientado. 


Use a criatividade, imaginação e conteúdo para melhorar cada vez mais suas sequências didáticas. Assim, os alunos estarão mais engajados e você economiza tempo antecipando suas aulas. 


Fonte:

Nova Escola 

Programa Digital Inspira


         
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *