Os métodos de alfabetização ideais para a sua escolaLeitura de 4 minutos

Práticas pedagógicas 7 de fevereiro de 2020
Professora sentada ao lado de aluna da Educação Infantil ensinando o alfabeto com ajuda de um tablet

author:

Os métodos de alfabetização ideais para a sua escolaLeitura de 4 minutos

Você se lembra de aprender a ler a escrever? Esse momento é um grande marco na vida de qualquer pessoa e pode ser feito de diferentes maneiras. Existem vários métodos de alfabetização no mundo e cada um deles tem suas vantagens e dificuldades.


O processo é mais complexo do que se imagina. Não é somente ensinar letras e palavras, a alfabetização é a formação de alunos críticos e capazes de se comunicarem com o mundo. Ser professor é abrir caminhos de aprendizagem.


Mas quais são os melhores métodos de alfabetização? Não existe uma resposta certa para isso, a sua escola deve escolher o que melhor se aplica à realidade dos alunos e formação dos educadores. É importante fazer um planejamento escolar bem estruturado e utilizar as sequências didáticas como apoio.


Saiba mais: Sequências didáticas: o que é e como fazer?


Métodos de alfabetização sintéticos 


É focado na análise do sistema de escrita, começando pela letra, sílaba ou som. Esse é um dos métodos de alfabetização mais rápidos e simples, tendo sido estruturado na teoria do behaviorismo. 


Alfabético 


É considerado o mais antigo entre os métodos de alfabetização. O aluno aprende os nomes das letras do alfabeto e depois combina sílabas e monta palavras. Também é chamado de soletração.


O grande obstáculo deste método é o ensino com base na repetição, sem levar em consideração as outras aprendizagens do aluno. 


Silábico


O famoso “ba-be-bi-bo-bu” utiliza as sílabas para depois compreender as palavras. As cartilhas costumam associar as sílabas a desenhos ou palavras-chaves e se apoia bastante no som. 


A dificuldade deste método é a limitação, já que a criança só conseguirá escrever com as famílias das sílabas que aprendeu. Os textos também costumam ser mecânicos, sem proximidade com o universo infantil. 


Fônico


Esse é o último dos métodos de alfabetização sintéticos. Utiliza a relação entre o som (fonema) e as letras (grafema). Primeiro, as crianças aprendem os sons das vogais, depois consoantes e, por fim, sílabas e palavras. Podem ser usadas cantigas, imagens e palavras que os alunos conhecem no seu dia a dia. 


Esse método é interessante por estimular a criatividade e ser mais próximo das crianças e das suas vivências, sem tantas repetições. O que dificulta o ensino é que algumas letras produzem sons diferentes, como o S em “sapato” e “casa”, e algumas palavras tem som igual e grafias diferentes, como CH e X. 


Métodos de alfabetização analíticos


Agora, a metodologia é ao contrário, aprendendo primeiro o todo (textos) para depois entender as partes (palavras, sílabas e sons). O objetivo destes métodos de alfabetização é a compreensão dos significados. 


Palavração e sentenciação


O foco são as palavras, que são apresentadas por reconhecimento ou memorização. O interessante é a criança aprender seu significado, sem se preocupar com sílabas e letras. 


Esse método utiliza bastante imagens com leitura inteligente e mais leve. A dificuldade fica com o reconhecimento de palavras novas, já que o aluno inicialmente não analisa as sílabas, sons e grafemas. 


Já a sentenciação tem o mesmo princípio, mas o foco é a compreensão das frases antes de chegar nas palavras. 


Global 


O método começa pela compreensão de um texto e sua estrutura de começo, meio e fim. As crianças entendem o sentido do que está sendo “lido” e depois analisam as sentenças e palavras. 


Também é conhecido como método de contos, deixando a aula mais lúdica e interessante. Mas, também é necessário que os alunos tenham contato com textos reais e trabalhem as estruturas básicas da escrita. 


Métodos de alfabetização construtivistas


Diferente dos outros métodos de alfabetização, o construtivismo é uma filosofia sobre o processo de ensino-aprendizagem. As crianças constroem seus conhecimentos de acordo com o seu desenvolvimento cognitivo. 


O aluno pensa sobre a escrita no seu tempo, fazendo a união da fala, escrita e leitura em um único processo. Pode ser trabalhado individualmente ou em grupo, sempre deixando a criança se sentir segura, criando seu próprio conhecimento. 


Métodos de alfabetização e escrita 


É importante dedicar um tempo especial para a aprendizagem da escrita, que é diferente da leitura. Enquanto a leitura tem como objetivo a compreensão do leitor, a escrita tem como objetivo a comunicação, dando acesso a leitura. Eles são complementares, mas diferentes. 


Independente dos métodos de alfabetização utilizados, os alunos precisam estar em contato com materiais escritos todos os dias, para despertar o interesse e a curiosidade. Uma boa alternativa é utilizar a tecnologia como recurso, como jogos digitais em tablets.


Leia mais: Como as tecnologias ajudam na alfabetização das crianças 


Incentive cada criança a praticar e gostar da leitura e da escrita. Assim, elas vão desenvolver pensamento crítico e compreensão do mundo, descobrindo e aprendendo sobre si mesmas. 


Fontes: 

Nova Escola

Revista Crescer

Pedagogia ao Pé da Letra


         
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *