Protagonismo do aluno no processo de aprendizagem

Protagonismo do Aluno
Leitura de 4 minutos
Por Ericka Kellner – Ericka é jornalista na Estante Mágica, plataforma educacional que, em parceria com escolas, transforma alunos em autores do próprio livro.

Por que o protagonismo do aluno é essencial no processo de aprendizagem? A Estante Mágica, que transforma alunos em autores através da produção de livros, traz hoje um material que vai mostrar a importância e os benefícios de tornar alunos verdadeiros escritores. Confira!

Imagine que o filme é sobre a sua vida, mas você é um ator coadjuvante. Agora imagine você em sala de aula: o conhecimento é para capacitá-lo, para deixá-lo apto para atuar na sociedade, mas você não é participante ativo no processo de aprendizagem. Não parece estranho? É por esse e outros diversos motivos que o protagonismo do aluno vem sendo apontado como cada vez mais essencial no processo educacional.

 

Você sabia que pode transformar seu alunos em escritores de verdades?

 

Mas sabemos que colocar esse conceito em prática não é muito simples. E basta olhar pra história para entender o porquê. O sistema escolar ainda tem resquícios dos seus moldes primários, que datam do século 18, lá na revolução industrial. A organização das carteiras, a figura centrada do professor, o quadro negro… tudo isso apontava para uma hierarquia onde o professor era detentor total do conhecimento e o estudante era apenas um sujeito passivo, recebendo e memorizando informações repassadas por uma autoridade.

 

Com a revolução tecnológica, o infinito acesso a informações e uma globalização cada vez mais fortalecida, esse modelo tornou-se ultrapassado. O conhecimento está a poucos cliques de cada um de nós. E aquela noção de geografia, que parecia ser exclusiva do professor, agora está na tela a partir de uma nova enciclopédia, mais conhecida como Google.

 

Estimule o espírito coletivo em sala com o Projeto Criando em grupo!

 

Questionar o professor passou a ser comum devido a tantas e tantas informações à nossa disposição. E isso trouxe mais autonomia e protagonismo para os alunos. Nesse contexto, já imaginou o quão produtivo seria se todo estudante se visse como responsável pelo próprio aprendizado, no centro das aulas e intervindo sobre seu processo educacional?
 


 

Benefícios do Protagonismo do Aluno

 

Alguns estudos já comprovam essa eficácia. Na aprendizagem baseada em projetos, metodologia na qual o estudante bota a mão na massa e realiza um produto final sobre um determinado tema aprendido em sala de aula, foram registrados os seguintes dados:

– Os alunos e professores ficam mais engajados em sala de aula;

– Os alunos aprendem de forma mais significativa e conseguem lembrar com mais facilidade o que aprenderam;

– As escolas que adotam a metodologia, centrada no protagonismo do aluno, registram menos problemas disciplinares.

 

Cruzando estas informações com a pesquisa Nova escola em (Re) Construção, 36% dos estudantes disseram querer realizar atividades práticas ou resolução de problemas e 25% querem ter algumas disciplinas obrigatórias e escolher outras.

 

Quer acabar com a pergunta “pra que vou aprender isso?”?

 

E é essa a proposta do protagonismo estudantil. De forma resumida, aposta-se nessa ideia pelo senso de importância que o estudante adquire ao se sentir parte importante do processo. Quando o aluno se sente parte da aula, ele se interessa mais por ela. Quando sabe que é ouvido, fica mais atento ao que o professor está falando. Quando sente que é sujeito ativo no mundo, vê que pode mudar o mundo. E quando acredita que poder mudar o mundo, é quando ele realmente atua como um verdadeiro cidadão.

 

Embora traga muitos pontos positivos, é normal que algumas pessoas possam confundir o conceito com permissividade.  Afinal de contas, seria o protagonismo uma espécie de abertura para o aluno achar que pode tudo?

 

Quer alfabetizar emocionalmente seus alunos? Baixe o projeto Habilidades emocionais!

 

 

Robson Melo, diretor de educação da Estante Mágica, maior plataforma de projetos pedagógicos para escolas, desfaz essa confusão: “Uma proposta educacional centrada no aluno não significa uma carta branca para bagunça ou desordem fora de hora e de contexto. Ao contrário, deve se basear em atividades orientadas que ressaltem a autonomia do aluno – e a responsabilidade sobre suas ações ou falta delas”.

 

 

Conhecimento, protagonismo e sala de aula têm ou não tudo a ver com uma formação educacional mais completa? 🙂

Abraços mágicos!

 

 

Veja mais!

Como utilizar as Mensagens da Agenda Edu para aproximar famílias e escola
86
Não há como negar que as mensagens virtuais revolucionaram a forma de se comunicar no século XXI. De dias de espera por uma carta, para segundos até o...
3 dicas de como aproveitar o processo de implantação da Agenda Edu
157
O processo de implantação da agenda digital deve ser simples e rápido para obter melhores resultados. Saiba mais sobre a implantação da Agenda Edu! ...
Confira tudo que rolou na Agenda Edu em 2018
357
O ano está chegando ao fim e muita coisa aconteceu aqui na Agenda Edu. Trabalhos, eventos, campanhas, melhorias e muita novidade. Confira agora t...