Desenvolvimento infantil: qual é o impacto da pandemia?Leitura de 4 minutos

Gestão escolar 14 de setembro de 2020
Crianças brincando de lego, uma brincadeira que auxilia no desenvolvimento infantil

author:

Desenvolvimento infantil: qual é o impacto da pandemia?Leitura de 4 minutos

A pandemia do coronavírus afetou pessoas no mundo inteiro, mas você já parou para pensar em quais foram os impactos no desenvolvimento infantil? Crianças pararam de ir à escola, assistiram aulas no computador, ficaram em casa o dia inteiro, não visitaram parentes nem brincaram com amigos. 


Essa quebra repentina na rotina trouxe muitos efeitos para a saúde mental. É importante que a família e a escola observem de perto para dar suporte aos alunos com o acolhimento necessário para superar esse momento. 


Com a volta às aulas presenciais em um ambiente diferente e cheio de novos protocolos, as crianças também podem se sentir inseguras e ansiosas com mais uma mudança de rotina. 



O que você vai encontrar neste artigo?


Pandemia e desenvolvimento infantil


Como não prejudicar o desenvolvimento infantil

Como a escola pode ajudar?


Pandemia e desenvolvimento infantil


É fácil pensar que a única dificuldade das crianças na pandemia é se concentrar nas aulas online e ficar dentro de casa, mas os problemas podem ser muito mais profundos. 


A falta do convívio escolar pode ser impactante. Muitas crianças contam com o apoio da escola quando vivem em um ambiente domiciliar complicado. Além disso, para muitos alunos, a merenda é a mais importante ou única refeição do dia. 


Afetividade na Educação Infantil: qual é a sua importância?


Eles observam a preocupação dos responsáveis, que muitas vezes estão estressados, perderam o emprego ou um parente. Por isso, não podemos menosprezar a ansiedade e depressão nas crianças e tudo que pode impactar no desenvolvimento infantil.


Um estudo feito na China com 320 crianças e adolescentes mostra que o estresse pode surgir de situações de convívio familiar acentuadas pela pandemia. Os principais problemas encontrados foram:


Dependência excessiva dos pais – 36%
Desatenção – 32%
Preocupação – 29%
Problemas do sono – 21%
Falta de apetite  – 18%
Pesadelos – 14%
Desconforto e agitação – 13%


Como não prejudicar o desenvolvimento infantil


O primeiro passo para não prejudicar o desenvolvimento infantil é ouvir e acolher. Não trate os problemas como superficiais e fique sempre atento aos sinais. A criança precisa se sentir segura e confiante para não prejudicar o seu rendimento escolar e social. 


Confira alguns sinais que devem ser observados e como solucionar:


Sono


  • Dificuldade para dormir e manter o sono
  • Fugir para a cama dos pais
  • Pesadelos frequentes

Repense a rotina em casa, estipule novos horários e rituais para deitar e acordar. Se a criança acordar, acolha e dê segurança para dormir em um ambiente tranquilo. 


Alimentação


  • Perda de apetite
  • Apetite insaciável 

Caso a criança não queira comer, é importante não obrigá-la e tentar ser mais flexível. A alimentação deve ser vista como positiva. Mas, se a forma for insaciável, é preciso controlar com cuidado e sem castigos. 


Como levar a alimentação infantil da escola para casa


Atividade física


  • Preguiça de fazer exercícios 
  • Agitação excessiva durante o dia 

A atividade física é essencial no dia a dia das crianças. Além de gastar energia, melhora o desenvolvimento motor e reduz o estresse. Estimule a correr, brincar, se divertir e aproveitar os espaços livres em casa. 


Como montar um plano de aula de educação física em casa


Emoções


Alguns sinais de ansiedade são:


  • Dor de cabeça ou barriga
  • Comportamentos regressivos, como voltar a pedir a chupeta ou não querer sair da cama dos pais 

As crianças estão procurando por estabilidade e segurança. Por isso, a família deve dar o exemplo e tentar controlar o estresse na rotina. Converse com honestidade, tranquilize e acolha as emoções. 


Interação social


A interação com outras crianças é essencial para o desenvolvimento infantil, por isso a escola faz tanta falta. É importante planejar encontros remotos com os colegas, manter contato com os familiares e mostrar que existe uma rede de apoio em casa e à distância. 


Como a escola pode ajudar?


O papel da escola é oferecer acolhimento para toda a comunidade escolar. As competências socioemocionais devem fazer parte do currículo escolar e estar presente em diferentes contextos do desenvolvimento infantil até o Ensino Médio. 


Competências socioemocionais na escola: volta às aulas na pandemia


Escola e famílias precisam estar unidos para entender as dificuldades dos alunos e como superá-las. Durante a pandemia, é ainda mais importante acompanhar de perto com comunicação efetiva, reuniões remotas e pesquisas. 


Na volta às aulas, os alunos precisam ter seus sentimentos reconhecidos, falar sobre o luto e suas experiências individuais e se sentirem conectados com a escola, professores e colegas. 



Fonte:


Nexo

Saúde Abril 


         
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *