Teoria de Vygotsky: como os alunos aprendem?Leitura de 9 minutos

Práticas pedagógicas 26 de julho de 2019
professora agachada ao lado do aluno que está em sua carteira.

author:

Teoria de Vygotsky: como os alunos aprendem?Leitura de 9 minutos

Segundo Vygotsky, o desenvolvimento cognitivo do aluno se dá por meio de relações sociais, ou seja, de sua interação com outros indivíduos e com o meio. Para Vygotsky, o professor é figura essencial do saber por representar um elo intermediário entre o aluno e o conhecimento disponível no ambiente. 

 

Mas afinal, quem foi Lev Vygotsky?

Lev Semenovich Vygotsky nasceu em 1896 em Orsha, na Bielo-Rússia, país pertencente à antiga União Soviética. E morreu de tuberculose em 1934 em Moscou. Sua família era judia e uma das mais cultas da cidade, o que permitiu que ele se dedicasse aos estudos. 

 

Vygotsky era formado em direito e trabalhou como professor e também como pesquisador em áreas como a Psicologia, Filosofia e Pedagogia. Formou com outros jovens um grupo que buscava uma nova Psicologia na Rússia Pós-Revolução. Sua produção foi vasta, escreveu cerca de duzentos trabalhos científicos, que foram importantes para pesquisas posteriores pois tratam de temas como linguagem, educação, deficiência e neuropsicologia.

 

Vygotsky foi também um importante pensador em sua área e época, foi pioneiro no conceito de que o desenvolvimento humano e intelectual das crianças ocorre em função das interações sociais e condições de vida.

 

O que diz a teoria de Vygotsky?

Na teoria sociointeracionista de Vygotsky as relações entre aprendizagem e desenvolvimento são aspectos muito importantes, pois para ele o desenvolvimento é promovido pela aprendizagem, e a interação entre meio e indivíduo é essencial nesse processo. 

 

A criança internaliza as interações com o ambiente e assim ocorre o desenvolvimento, que acontece de fora para dentro. A cultura é uma das principais influências para que ocorra o desenvolvimento mental, ela indica os caminhos e também as peculiaridades da sua conexão com o mundo. 

 

É na escola onde tudo isso será vivenciado e onde a criança irá associar suas ações à concepção de mundo em que ela está inserida. Segundo Vygotsky, a criança necessita de atividades específicas que proporcionem o aprendizado, pois seu desenvolvimento é dependente dessa aprendizagem por intermédio das experiências e interações em que foi submetida. O professor é o mediador desse processo, por ser o mais experiente e planejar suas intervenções. 

 

Na sala de aula


Podemos usar como exemplo uma criança que está com dificuldade para aprender a ler. O professor trabalha com ela a pronúncia das palavras e também o reconhecimento destas, através de textos e músicas que fazem parte do cotidiano, assim a criança é capaz de aprender a ler.

 

A teoria de Vygotsky aponta que a criança nasce com funções psicológicas elementares e que com o aprendizado da cultura e as experiências adquiridas, essas funções tornam-se funções psicológicas superiores, que são o comportamento consciente, a ação proposital, capacidade de planejamento e pensamento abstrato. 

 

A partir desses conceitos, Vygotsky apresenta outras concepções igualmente importantes, como é o caso da zona de desenvolvimento proximal, que é onde o professor vai fazer intervenções para uma aprendizagem satisfatória e a relação entre pensamento e linguagem, pois é por meio da linguagem que o aprendizado é mediado. Veremos esses conceitos a seguir:

 

Pensamento e linguagem na teoria de Vygotsky

A linguagem é o principal instrumento de representação simbólica que os seres humanos possuem. A sua função inicial é a comunicação, a compreensão. Essa função está diretamente ligada ao pensamento, permitindo a interação social. 

 

Para Vygotsky a linguagem é associada a fala, então, inicialmente o desenvolvimento da linguagem ocorre com a finalidade da comunicação. Podemos usar como exemplo o choro dos bebês e também os sons emitidos por animais, os quais partem do mesmo propósito de comunicação, mesmo que de forma primitiva e sem elaboração conceitual. 

A segunda função é o “pensamento generalizante” definido como associação da linguagem ao pensamento. O uso da linguagem nesse caso se dá de forma mais elaborada e por meio de outros processos mentais superiores, o que nos difere das outras espécies. 

 

Por exemplo, ao chamar um gato de “gato”, a criança o agrupa na categoria dos gatos, que não é um cachorro e nem um coelho. Na psicologia o significado das palavras é um conceito, que é um ato do pensamento, logo, o significado pode ser considerado um fenômeno do pensamento.

 

Os métodos de alfabetização ideais para a sua escola


Como desenvolver essa relação

A relação entre pensamento e linguagem não nasce com a criança. Em um determinado momento do desenvolvimento a linguagem é sua primeira função, ela e pensamento se unem, representando uma importante parte do funcionamento psicológico.


A criança nasce em um ambiente falante, a língua é externa ao indivíduo, é um processo que ocorre de fora para dentro, dessa forma, ocorre o que Vygotsky chama de fala socializada, a fala da criança para os outros e com os outros. 

 

O ponto mais desenvolvido de todos é o discurso interior, quando pensamento e fala discursam num processo mental sem a necessidade de externar ou interagir com outras pessoas. A criança percebe o que acontece à sua volta e internaliza. 

 

Entre os processos que ocorrem entre a fala socializada e o discurso interior, há um outro fenômeno  que segundo Vygotsky é a fala egocêntrica, quando a criança fala sozinha, por volta dos 3 ou 4 anos de idade, e evidencia que a comunicação está sendo internalizada, o que se torna um suporte para ajudá-la a seguir um raciocínio e resolver problemas. 

 

Como trabalhar na escola

Quando passa a frequentar a escola, a criança participa de um intercâmbio social, dando novos sentidos às palavras, através da intervenção do professor e as interações sociais com os colegas. 

 

Os brinquedos e as brincadeiras são importantes, pois por meio deles a criança entra num mundo simbólico, onde ocorrem representações mentais e relações entre linguagem e pensamento fazendo com que ela se desenvolva a partir do que é apreendido por meio das interações com o meio cultural no qual está inserida.

Protagonismo e tecnologia na educação infantil

Zona de Desenvolvimento Proximal

Outro conceito muito relevante acerca da teoria de Vygotsky, é a Zona de Desenvolvimento Proximal. Devemos nos atentar para que o desenvolvimento seja observado de modo que a atenção esteja voltada para o que vai acontecer e não ao que já aconteceu, no entanto, na prática, muitas vezes os questionamentos feitos sobre o desenvolvimento da criança levantam sempre as conquistas já realizadas e não as que estão ainda em processo. 

 

Leia também: Avaliação diagnóstica: como fazer e qual sua importância?

 

Partindo da compreensão das concepções de zona de desenvolvimento real, que é o que a criança já sabe fazer sozinha, e zona de desenvolvimento potencial, que é o que a criança ainda não sabe fazer sozinha, mas é capaz de fazer com a intervenção do outro, pode-se compreender que Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP), para Vygotsky, é a área que fica entre o que já foi aprendido e o que está em processo.

 

Essa é a zona de desenvolvimento considerada por Vygotsky a mais importante, porque permite intervenções e possibilita a promoção de transformações.

Como usar a teoria em sala de aula?

Vygotsky chama atenção dos educadores porque ele valoriza a escola, a ação pedagógica e a intervenção. Ter um mediador que direcione a aprendizagem é primordial no processo  de construção do conhecimento. 

 

Os professores devem usar estratégias para que seus alunos sejam independentes, observando as habilidades que os alunos já têm e as que eles poderão obter, estimulando o Nível de Desenvolvimento Potencial, e assim criando uma nova ZDP sempre. 

 

É importante proporcionar aos alunos um ambiente colaborativo, para troca de idéias e trabalhos em grupos para que os alunos também construam seu conhecimento a partir da interação com os colegas. O diálogo entre professor e aluno também é de fundamental importância nesse processo.


Leia também: Ensino personalizado: metodologias para tornar o aprendizado mais dinâmico e interativo

 

Na Educação Infantil a brincadeira é fundamental para o desenvolvimento da criança. Os jogos lúdicos e também o brincar livre mediados pelo professor permitem que a criança desenvolva a capacidade de tomar decisões, expressar sentimentos, conhecer a si e ao mundo, além de despertar a criatividade e solucionar problemas.

Conclusão da teoria de Vygotsky

Na perspectiva de que não é só por meio do professor que o aluno adquire conhecimentos, a interação com o ambiente e os colegas também são fatores que permitem diversas experiências de aprendizagem. 

 

São esses fatores que permitem que a criança se veja no mundo como um ser ativo, que age sobre o meio em que está inserida, que tem sua própria história. Não há uma receita de bolo, cada aluno é um ser único. 

 

Para Vygotsky, a intervenção pedagógica é essencial na definição do desenvolvimento das crianças, a sua teoria também nos traz uma nova visão da relação de acerto e erro como indicativo de que alguns conhecimentos precisam ser trabalhado, além de apontar a educação sob um pilar em que o homem  é visto como um ser holístico em processo de construção permanente.

 

Fontes:
Vygotsky: Aprendizado e Desenvolvimento, um Processo Sócio-Histórico, Marta Kohl de Oliveira, 112 págs., Ed. Scipione.
Nova Escola



         
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *