Plano de aula de Educação Física: como montar?Leitura de 8 minutos

Práticas pedagógicas 25 de setembro de 2019
plano de aula de educação física: crianças e professor agachados e de mão dadas para jogar basquete

author:

Plano de aula de Educação Física: como montar?Leitura de 8 minutos

A prática de exercícios é de suma importância para o desenvolvimento físico e também intelectual dos alunos. Planejar um bom plano de aula de Educação Física garante a participação nas aulas e uma série de benefícios para os alunos, como a valorização do outro, o respeito e a convivência com regras, trabalho em equipe, prática da liderança e interesse por uma vida saudável. 

 

A BNCC é o documento que normatiza o currículo básico comum a toda a educação básica brasileira. A disciplina de Educação Física, como componente curricular obrigatório da Educação Básica também está integrada à Base Comum Curricular, que aprofunda a idéia das práticas corporais como forma de expressão dos alunos, e além da pluralidade das vivências, também trata da forma como essas são conduzidas. 

 

O planejamento do professor não deve ser voltado apenas para as práticas corporais, mas também tematizar, é importante debater o aspecto cultural dessas práticas.

 

Plano de aula de Educação Física na BNCC

 

Uma das grandes mudanças para a Educação Física no Ensino Fundamental é sua inclusão na área de Linguagens. A Educação Física, além do aspecto físico, passa a fazer um importante papel no desenvolvimento sociocultural dos alunos.

 

A Base Nacional Comum Curricular, sugere que o aluno experiencie uma variada vivência de práticas corporais, pois cada prática possibilita que ele tenha acesso a uma dimensão de conhecimentos e experiências. No Ensino Fundamental, a Educação Física conecta as dimensões do conhecimento a objetivos procedimentais (fazer a prática), conceituais (compreensão do que é a prática), e atitudinais (conviver e saber ser). O professor deve estar atento para envolver esses objetivos no planejamento.

 

Baixe grátis nosso infográfico: Como aplicar as 10 competências da BNCC em sala de aula

 

Ao planejar as aulas, o professor pode buscar alternativas para propiciar vivências diferentes aos educandos, isso é possível do ponto de vista da BNCC, que também enfatiza a importância dos alunos vivenciarem o maior número de práticas possíveis, sendo principalmente preparados para aceitar as diferenças que estas abrangem.

 

Para nortear o trabalho dos educadores, os conteúdos da Educação Física no Ensino Fundamental são divididos em seis unidades temáticas. Confira agora cada uma delas e como podem ser abordadas no plano de aula: 

 

1 – Esportes

 

Inclui as manifestações formais e informais. Na BNCC as modalidades esportivas foram divididas em 7 categorias de acordo com critérios como: objetivos táticos, desempenho motor, interação com adversários e cooperação.

 

As categorias são:

 

  • Marca: esportes em que o resultado é medido de acordo com o tempo, peso ou distância. Ex: Atletismo.
  • Técnico combinatório: a disputa é de acordo com a qualidade do movimento, de acordo com os critérios estabelecidos. Ex: Ginástica rítmica, ginástica artística.
  • Precisão: o objetivo é acertar um alvo específico. Ex: Boliche, tiro ao alvo.
  • Territorial: esportes em que uma equipe precisa levar um objeto ao espaço da equipe adversária. Ex: Futebol, Basquete.
  • Combate: esportes de luta. Ex: Boxe, karatê.
  • Campo e taco: o objetivo é rebater a bola o mais distante possível para ocupar território. Ex: Beisebol.
  • Rede: o objetivo é lançar a bola à quadra adversária. Ex: Vôlei

 

Ao incluir os esportes no planejamento, o professor não pode esquecer do aquecimento, para que os alunos não se machuquem durante a prática.

 

O professor pode incluir, filmes que envolvam os esportes abordados na aula e mediar  discussões sobre a história dos esportes, aspectos culturais dos países em que são mais praticados.

 

Confira aqui dicas de filmes sobre Educação Física

 

2 – Danças

 

Inclui as modalidades individuais e também em grupo. A dança é uma atividade democrática, promove a interação, processo criativo e a autonomia dos alunos, inclusive alunos com deficiência. O importante é orientar os alunos quanto ao movimento, para que eles desenvolvam a consciência corporal e entendam como o corpo se relaciona com o espaço e com os outros.

 

Uma atividade bem interessante, é fazer uma listagem junto aos alunos das danças típicas do Brasil. Pode ser feita uma votação, e a turma irá ensaiar a mais votada. O professor pode levar para as aulas vídeos sobre a cultura do estado em que a dança escolhida surgiu e promover debates sobre a importância de se manter viva a cultura do país.

 

3 – Lutas

 

Inclui as tradicionais do Brasil como a capoeira e também de outros países, como é o caso do Judô. As lutas são esportes carregadas de valores, o benefício não é apenas físico, mas também mental e espiritual.

 

Uma atividade com Karatê, pode levar para a sala de aula uma reflexão sobre como a prática desse esporte é importante para o desenvolvimento integral do praticante. A cultura ligada ao esporte e a filosofia tornam a discussão ainda mais interessante.

 

4 – Ginásticas

 

Inclui a ginástica geral, que conhecemos com acrobacias, a ginástica de condicionamento físico, como é o caso da laboral, e a ginástica de conscientização, caracterizada por movimentos mais suaves, como é o caso da yoga.

 

Uma boa atividade é que a turma experimente movimentos básicos da ginástica, como saltos e giros. Pode ser realizada individualmente e também em grupo. Utilizando os procedimentos de segurança e respeitando os limites do próprio corpo e também do corpo do outro. 

 

5- Jogos e brincadeiras

 

São atividades com limite de tempo e espaço, com regras estabelecidas e o que é mais importante: a apreciação do ato de brincar. Os jogos e brincadeiras possuem sua própria finalidade e por isso devem ser estudados.

 

A BNCC ressalta a importância da igualdade entre todos os jogos e brincadeiras, incluindo os jogos indígenas, para que os alunos tenham a oportunidade de conhecer diferentes valores e contextos culturais. 

 

Leia também: Faz de conta: o que as crianças aprendem com ele?

 

Uma boa atividade, é apresentar para a turma brincadeiras regionais e pesquisar a origem de cada uma. Uma outra atividade interessante é a confecção de brinquedos feitos com material reciclado.

 

6 – Práticas corporais de aventura

 

Atividades em que os participantes superam um ambiente desafiador. São divididas em práticas da natureza, como o arborismo, e práticas no ambiente urbano, como o skate.

 

Uma boa atividade na escola, é pedir que os alunos que possuem skate e material de segurança levem para a aula, e promover um debate sobre o movimento cultural, música e vocabulário que envolve esse esporte.

 

Como lidar com os alunos desmotivados

 

É comum encontrar nas escolas uma boa parcela de alunos que não participam das aulas de Educação Física. Como reverter esse quadro? O primeiro passo é diversificar as atividades para sair da rotina. 

 

Leia também: Como motivar e engajar os alunos em sala de aula

 

Outro passo importante é deixar um pouco a competitividade de lado, e incentivar os alunos para que trabalhem em equipe, sempre se divertindo. Promover eventos esportivos, valorizando a colaboração dos alunos, pode ser uma ótima estratégia para aproximar os alunos das aulas. 

 

Use as limitações a seu favor

 

Utilizar de forma não convencional os espaços e materiais disponíveis na escola pode motivar os alunos a participarem das aulas. O professor pode ver com a direção da escola a possibilidade de utilizar espaços da comunidade, como quadras e campinhos. Outra alternativa pode ser confeccionar os materiais utilizados na aula, como mostramos ser possível em uma aula de jogos e brincadeiras. 

 

Conclusão

 

Neste artigo vimos que a aula de Educação Física é muito mais que o momento em que os alunos praticam exercícios. Na aula também aprende-se sobre valores e trabalho em equipe.

 

Um bom planejamento permite que o professor elabore uma boa aula e que os alunos tenham uma experiência satisfatória com os conteúdos trabalhados. Para isso, é necessário que o professor conheça o perfil da turma, a faixa etária dos alunos e a cultura local, pois isso garante a aplicação apropriada dos conteúdos. Sempre tendo a cautela para adaptar e adequar as aulas quando necessário.

 

Além disso, a Agenda Edu traz planos de aula da Nova Escola integrados a sua plataforma, assim os professores podem planejar melhor as suas aulas, criar novas ideias de atividades e oferecer novos conteúdos, colando o aluno no centro da aprendizagem e cultivando o protagonismo.

 

Fontes:
Base Nacional Comum Curricular

Nova Escola

         
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *