Desenvolvendo a Inteligência Emocional dos seus alunos para o EnemLeitura de 9 minutos

Práticas pedagógicas 28 de outubro de 2019
Inteligência emocional dos alunos no Enem: Aluno e professor sentados e conversando. Há uma mesa frente a eles.

author:

Desenvolvendo a Inteligência Emocional dos seus alunos para o EnemLeitura de 9 minutos

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pode mudar o rumo da vida do estudante – seja ingressando no ensino superior ou precisando adiar os planos por mais um ano. Essa situação pode trazer diversos fatores a vida dos jovens que se preparam. 

 

Quanto mais perto de uma prova decisiva, maior costuma ser a ansiedade, nervoso e aflição dos alunos que se preparam para o dia. A expectativa de saber o resultado – seja de forma individual ou por conta da família – pode fazer com que o aluno se sinta pressionado. Quanto maior a sensação de pressão, mais o aluno diminui a concentração e a capacidade de raciocínio, aumentando a dificuldade de interpretação.

 

Baixe grátis o e-book “Como preparar um aluno de alta performance para o Enem”

 

Alinhamento da gestão, corpo docente e pais/responsáveis
 

É de extrema importância que pais, responsáveis, corpo docente e o ambiente escolar estejam alinhados para esse período que pede maior paciência. Mas, a pergunta a ser feita é “como fazer com que o jovem lide com as emoções que estão envoltas nessa fase?”. Para isso, temos algumas dicas a serem ensinadas: 

 

Dominar os pensamentos: na reta final, pode bater um desespero e o questionamento sobre o fator vestibular. Nessa hora, é preciso que se ponha em prática a técnica de Augusto Cury, D.C.D. (Duvidar, Criticar e Determinar). Dessa forma, quando o pensamento negativo chegar, o ideal é que seja feita uma avaliação sobre ele de forma crítica, determinando atitudes saudáveis e positivas para agir sobre ele.

 

Descanso: é fundamental que o aluno tenha um sono regulado nesse processo. Não adianta perder uma noite de sono para ficar estudando, afinal, isso não torna o processo mais fácil, saudável e só prejudica o desempenho nos estudos. É importante que o aluno seja regrado e tenha uma hora certa para dormir, se desligando dos aparelhos eletrônicos 30 minutos antes.

 

Cuidado com a alimentação: assim como dormir é importante, a alimentação pode afetar o desempenho daqueles que desejam ir bem no vestibular. É importante que haja uma preferência por comidas leves, fazendo a ingestão de maneira controlada. Às vezes a ansiedade pode deixar o jovem sem fome, mas não é ideal que haja um momento sem comer, isso prejudica o raciocínio.

 

Prepare o pensamento: para o estudante, é importante que dias antes do vestibular ele entenda o que está acontecendo. Por isso, a escola deve estar preparada para orientar os alunos em todos os casos, sejam positivos ou negativos.

 

Revisão na reta final: com duas semanas de antecedência para a prova, é ideal que haja uma revisão geral de todo conteúdo ministrado pelo corpo docente. Dessa forma, o cérebro consegue recordar o que já foi dito e entender o que não havia ficado esclarecido. Uma dica é tentar separar tópicos para sanar as dúvidas dentro de sala.

 

Desmistifique o vestibular: o jovem, muitas vezes, pensa no vestibular como um objetivo final e não como uma etapa. É preciso inverter esse pensamento, afinal, o sucesso não está no resultado do vestibular, mas sim na forma que o estudante irá lidar com a profissão no futuro. Para isso, pode-se pensar em palestras diversificadas para falarem de histórias profissionais.

 

Confiança como palavra-chave: é importante que a escola propague para os alunos que a confiança é extremamente necessária para um bom desenvolvimento. Incentivos irão desenvolver um pensamento positivo no estudante, fazendo assim, com que o mesmo confie em tudo que aprendeu até chegar nessa etapa. 

 

O emocional precisa estar preparado!
 

Os estudantes não levam em consideração, mas é preciso ressaltar: para garantir bons resultados, é necessário que haja uma preparação emocional. A maratona de estudos se torna tão intensa que, muitas vezes, o aluno esquece de trabalhar a Inteligência Emocional.

 

Por maior que seja o conhecimento do aluno sobre os temas, é preciso que haja controle sobre a Inteligência Emocional e que esta seja bem desenvolvida para maior eficácia na hora de aplicar o que se sabe. Um estado emocional desequilibrado pode implicar em diversas situações que atrapalham, principalmente bloqueando a capacidade racional, o maior exemplo disso, é o famoso “branco” que os alunos temem. 

 

Para ajudar a enfrentar esse momento, é importante que a escola esteja preparando não só os estudos, mas também o emocional dos alunos. Para que isso ocorra com maior eficácia, é possível explicar para os estudantes a importância sobre: 

 

✅ Conhecer as emoções;
✅ Merecimento;
✅ Capacidade de realização;
✅ Respeito às limitações;
✅ Reconhecimento de potencial;
✅ Propósitos;
✅ Diversão.

 

Encontrar a motivação muitas vezes é difícil, justamente por isso é preciso lembrar e relembrar como é importante que o jovem tenha autoconhecimento sobre suas emoções nessa etapa. 

 

Inteligência Emocional nos estudos

 

O processo de autoconhecimento é de extrema importância nessa etapa. É preciso que a escola crie um ambiente onde o jovem possa se descobrir e entender, dessa forma o Enem não irá parecer um “bicho de sete cabeças”, e sim uma prova de vestibular onde o aluno se preparou e sabe o conteúdo.

 

Para isso, é necessário que haja a identificação de pontos positivos e negativos. A escola pode – e deve – oferecer simulados baseados no exame para que os alunos entendam onde levam mais tempo para realizar questões, onde estão os erros, quais são os acertos e etc. A partir disso, o aluno perceberá as melhores soluções para não comprometer o rendimento.

 

Uma boa ferramenta preparatória para o Enem é o Descomplica para Escolas, onde o estudante pode, além de treinar para o exame, organizar uma rotina de estudos de forma saudável e ter aulas interativas com professores para sanar dúvidas.  

 

Clique aqui para saber como levar essa solução para a sua escola.

 

Com o resultado dos simulados, o candidato consegue fazer uma autoavaliação e buscar as suas próprias saídas. Dentro da plataforma, há uma diversidade de opções para garantir um estudo com eficácia.

 

O desenvolvimento socioemocional é um processo de longo prazo. Começa na infância e perdura por bastante tempo, por isso é importante que nessa etapa de vestibular, a escola trabalhe focada no desenvolvimento das habilidades para que o jovem consiga chegar nesse momento mais focado, tranquilo e equilibrado.

 

Para ajudar, algumas “metáforas” podem ser ensinadas. Os chamados métodos metacognitivos, que são baseados em teorias pedagógicas, auxiliam o jovem a encontrar as saídas necessárias diante das adversidades. É parte de um programa criado pela Mind Lab para que haja maior desenvolvimento de habilidades socioemocionais em escolas. Três delas se tornam essenciais para o ENEM, são elas: 

 

Método do Semáforo: ajuda a organizar os pensamentos e agir de forma consciente e com responsabilidade. Diante de um problema, em que o jovem não encontra solução, é preciso que ele pare, olhe para situação, pense e siga em frente, tal como o semáforo.

 

Método do Detetive: contribui para que na investigação de uma situação-problema, por meio de perguntas, para produzir e descobrir pistas, dados e informações que possibilitam criar soluções. Na hora da prova, o estudante precisa ler e procurar as respostas, tal como um detetive.

 

Método da Escada: permite progredir passo a passo para atingir um objetivo. Cada etapa concluída auxilia a chegar a outra etapa, mais próxima do objetivo final. Assim, para chegar a uma solução, é necessário a identificação de etapas, essa progressão é como uma escada.

 

Motivação na hora dos estudos
 

Não existe uma fórmula mágica ou uma forma ideal para que os estudos sejam feitos da melhor forma possível, mas existem algumas estratégias que potencializam as chances de aprendizado. São elas:

 

– Organização e disciplina;
– Recompensa por cada meta atingida nos estudos;
– Pesquisa sobre os temas mais frequentes na prova;
– Controle emocional;
– Conhecer o estilo da prova;
– Rotina de estudos.

 

Caso o estudante siga esse preparo, é possível que as chances de ingressar no ensino superior aumentem gradativamente. Não é fácil encontrar motivação nessa etapa, mas é preciso manter o foco pensando no futuro. Para isso, a escola pode motivar o jovem a aprender a se organizar para estudar, fazer aulas diferenciadas, ensinar passo a passo do Enem e até mesmo, mostrar como a internet está a favor dos estudantes atualmente.

 

Hoje, é possível encontrar diversas formas de estudar online, ensinando métodos de concentração, foco e organização. O Descomplica para Escola traz dentro do seu universo um material enriquecedor sobre vestibular, aulas online, vídeos motivacionais, possibilidade de simulados e redações com correção baseado no método TRI (o mesmo utilizado pelo Enem), organização dos estudos e muito mais. Assim, a escola irá propagar a importância de o aluno estudar em casa de forma eficaz e com foco. 

 

Conclusão

 

Há um propósito e motivação por trás de todas as escolhas feitas pelos jovens. Nesse momento de Enem é de extrema importância que haja a compreensão disso. A escola pode propor que os alunos façam listas mostrando o que os motivou a escolher estudar para ingressar no ensino superior, dessa forma o estudante irá lembrar rotineiramente do motivo do seu esforço.

 

É válido incentivar também que essa etapa é um momento temporário, o resultado valerá a pena. Na semana da prova, é interessante que a equipe escolar esteja preparada para diversificar os momentos e canalize os pensamentos positivos acerca dos estudantes que irão prestar vestibular. Dessa forma, o estudante se sentirá motivado, com o emocional equilibrado e irá preparado para fazer a prova com tranquilidade.

 

E claro, se você desejar oferecer aos seus alunos uma preparação robusta para o Enem e demais vestibulares, é só contar com o Descomplica, a maior plataforma pré-vestibular do Brasil. Temos diversas soluções que podem ajudar na rotina da sua escola, potencializando a sua retenção e captação de alunos. Clique aqui para falar conosco.

 

Quero Descomplica Enem na minha escola

 

Referências:

Augusto Cury

Educa mais Brasil

Escola da inteligência

Estado de Minas

Guia do Estudante

Métodos Metacognitivos Mind Lab

Somos Par

         
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *