Como o ensino focado na realidade pode transformar a sua escolaLeitura de 9 minutos

Práticas pedagógicas Tendências em educação 10 de setembro de 2019
estudantes sentados em círculo e a professora orientando. Sob a mesa dos alunos há vários materiais escolares

author:

Como o ensino focado na realidade pode transformar a sua escolaLeitura de 9 minutos

Quem é gestor e educador conhece a realidade de uma sala de aula desinteressada e dispersa, onde o celular é um atrativo maior que o professor. É evidente, então, que esses profissionais têm o desafio gigantesco pela frente de transmitir o conhecimento que muitas vezes é visto como supérfluo pelos alunos. Seria isso possível ou só estamos replicando um modelo falido?

 

Para levantarmos esse ponto e mostrarmos métodos práticos para superar a dificuldade de concentração e engajamento em sala de aula, precisamos entender que o modelo de escola que conhecemos hoje está 200 anos atrás de seu tempo, mais precisamente, da época da Revolução Industrial.

 

Precisamos mudar o modelo da Educação no Brasil

 

Alunos enfileirados, uma lousa na frente e um professor que apresenta assuntos listados e diversos todos os dias, seja por meio da fala ou da escrita. Esse modelo foi concebido em uma época em que a ideia era apenas apresentar uma versão única de uma história e, de preferência, não gerar questionamento.

 

Infelizmente, o modelo tradicional de escola do século XIX permanece no Brasil. O que explica em grande parte porque o país ocupa o penúltimo lugar em uma listagem da Pearson Internacional, que mede a qualidade da educação em 40 países. Apenas a Indonésia tem uma educação pior, de acordo com o ranking.

 

Dito isso, existe o fato de que apenas as informações “jogadas”, sem interação com os alunos e sem identificação com a realidade, não geram resultados reais no longo prazo.
Como posso deixar meus alunos mais engajados?

 

É recorrente pensamentos como: “meus alunos só ficam no celular e não querem saber das aulas”, “meus alunos têm dificuldade de aprendizagem e eu não sei como reverter à situação” ou “o desinteresse é uma realidade constante dentro da sala de aula”?

 

Se a resposta for sim, saiba que você não está sozinho. A dificuldade de concentração, de aprendizagem e de engajamento integram a rotina das salas de aula justamente por o modelo atual não conseguir se mostrar importante na vida real dos alunos. Mas nós vamos ajudá-lo. Nesse artigo, separamos uma série de dicas que podem reverter essa situação e transformar o ensino da sua escola em um ensino focado na realidade.

 

Dicas práticas para tornar o ensino mais interessante e focado na Realidade

 

  • Conte histórias ao invés de escrever fatos: as séries, filmes e até os youtubers exploram muito bem esse recurso. Aliás, o Storytelling (que nada mais é que a capacidade de contar uma boa história para explicar um fenômeno) é uma das habilidades mais antigas do ser humano na hora de transmitir informação e é uma maneira prática e eficaz de ensinar, pois gera identificação e curiosidade. Algumas táticas que auxiliam nesse processo são o tom da voz, os gestos, um roteiro prévio e os recursos tecnológicos, como vídeos, sons, imagens e até cheiros.

 

  • Aguce a curiosidade dos alunos: pense assim: “Eu estou em um palco e meus alunos são a plateia. Dependendo da forma como eu ensino, eles podem aplaudir ou vaiar”. Para acabar com a dificuldade de concentração, você pode explicar a matéria escondendo, propositalmente, determinados assuntos. Isso fará com que os alunos se sintam incentivados a participarem e a questionarem sobre as partes “ocultas” da história. Afinal, o que é a vida senão uma história que vamos desvendando aos poucos?

 

  • Transforme os problemas das disciplinas em problemas cotidianos: matérias como física, matemática e química tendem a serem vistas como difíceis no dia a dia.
    A lógica se reverte quando os educadores escolhem temas atuais e do cotidiano para explicar o assunto em questão, pois eles estão relacionados com a realidade dos alunos. Por exemplo: você pode trazer a matemática para falar de grandes invenções, como mecanismos de busca do Google, redes sociais, aplicativos, etc. Isso funciona como incentivo e mostra a importância do tópico para os alunos.

 

  • Abrace a tecnologia: você já deve ter reparado que o mundo digital veio para ficar e que as novas gerações sabem muito como usá-lo. Exatamente por isso que ele não pode ser ignorado no processo de aprendizagem. Jogos educativos, aplicativos e até redes sociais atuam muito bem para romper a dificuldade de engajamento dos alunos.

 

Proponha pesquisas em canais no Youtube ou perfis no Instagram que falem sobre temas relacionados com a aula; invista na leitura de e-books e de aplicativos que auxiliam no aprendizado; use jogos de celular que abordem conhecimentos de vida. Faça uma pesquisa e você descobrirá uma infinidade de outras coisas que servirão como incentivo real para alunos e transformará a realidade da sua sala de aula.

 

Quer ainda mais dicas sobre como tornar o ensino interessante e focado na realidade, clique aqui!

 

Muito se fala sobre a importância das matérias obrigatórias no desenvolvimento de crianças e adolescentes. Porém, uma questão que deve ser observada é que, para o ensino ser realmente focado na realidade, ele precisa também trabalhar atividades extracurriculares e as ditas habilidades de vida (soft skills).

 

Leia também: O desafio e a importância de trabalhar soft skills nas escolas

 

Mas o que torna esse estudo complementar tão importante e porque ele deve ser oferecido pelas escolas?

 

Benefícios do Ensino focado na Realidade

 

1. Melhora da autoestima dos alunos

 

Para começar, você deve ter em mente que as atividades extracurriculares são aqueles que abordam a cooperação e a troca entre os alunos, e esses são quesitos fundamentais para a melhora da autoestima dos estudantes.

 

O formato de realização dessas atividades também estimula a motivação e os talentos individuais de cada um. E, como resultado, observamos crianças e jovens mais confiantes em si e no seu potencial, e isso se reflete em uma autoestima mais saudável e elevada.

 

2. Aumento da performance dos estudantes nas atividades obrigatórias

 

As atividades extracurriculares e o ensino de habilidades de vida (como técnicas de aprendizagem) são ótimas ferramentas para aumentar a capacidade de organização, de motivação e de aprendizado dos alunos. Por esses motivos, há uma verdadeira melhora na disposição e no desempenho do aluno nas matérias obrigatórias. Em muitos casos, observamos que as lições são mais bem aprendidas, a responsabilidade com entregas de trabalho aumenta, assim como o comprometimento do estudante como um todo.

 

3. Melhora da saúde mental e física dos alunos

 

Se movimentar, seja física ou mentalmente, é fundamental para a saúde do ser humano. Seja qual for a atividade, ao trazer aos alunos momentos novos para a sua rotina através de atividades extracurriculares, você estará beneficiando enormemente a saúde mental e física dos seus alunos, que conseguirão ter mais clareza mental, reduzir os níveis de ansiedade e melhorar o seu desempenho na vida.

 

4. Melhora do valor e aumento da credibilidade da escola perante os pais

 

Instituições de ensino que oferecem atividades extracurriculares e ensino de habilidades de vida, como criatividade e autoconhecimento, são em grande parte mais valorizadas pelos pais dos jovens. Isso porque essas pessoas enxergam a iniciativa de estimular os filhos de diversas formas como uma oportunidade valiosa de desenvolvimento para eles. Inclusive, em muitos casos, observamos que há melhor performance em provas, desde as periódicas até mesmo as de vestibular.

 

5. Preparo do aluno para o futuro

 

Com as atividades extracurriculares, podemos observar que as escolas estão investindo em novas formas de aprendizado. Então, de certa forma, é o primeiro passo dos educandos em direção a um futuro bem-sucedido!

 

Receba mais conteúdos sobre Ensino focado na Realidade para a sua escola.

 

Como escolher o estudo complementar ideal para o aluno

 

Agora que você observou toda a vantagem, deve estar se perguntando qual é a melhor forma de introduzir atividades extracurriculares que vão gerar mais resultados. Para começar, você deve ter em mente o perfil dos alunos da sua instituição. Dança e esportes são algumas atividades comuns, que geralmente trazem resultados muito bons para a escola.

 

Em seguida, comece a estruturar o plano para colocar isso em prática. Verifique as necessidades da atividade que você escolheu. Vai precisar de um lugar específico? Precisará de materiais complementares? Qual será o profissional necessário para desenvolver essa atividade? Tudo deve ser colocado no papel para facilitar a análise da viabilidade dessa ideia.

 

Crie um planejamento para não se perder durante o processo. Estipule um período de adaptação para compreender e otimizar a atividade extracurricular quando começar a ser aplicada.

 

A comunicação com os alunos e os pais deve ser feita de forma clara, com uma linguagem moderna e sempre em tom de parceria. Isso permite uma boa receptividade, o que resulta em sucesso financeiro.

 

Baixe grátis o infográfico: 5 dicas para ter uma comunicação escolar de sucesso

 

Está sem espaço ou profissionais necessários? Você ainda pode apostar na tecnologia e trazer plataformas digitais e jogos de conhecimentos de vida para a sua escola.

Se a sua escola ainda não investe em estudos complementares, comece hoje a ver isso com outros olhos. Não tenha medo do período de adaptação, ele é necessário, e o seu sucesso financeiro virá assim que o desenvolvimento dos alunos estiver de fato sendo colocado em prática e sendo percebido pelos pais, pelos alunos e pela comunidade.

 

Receba mais conteúdos sobre Ensino focado na Realidade para a sua escola.

 

Sobre Idapt

 

O objetivo da Idapt é preparar os jovens para a vida, criando cidadãos com pensamento crítico, consciente e criativo. Em uma era de constantes transformações, a Idapt busca trazer um aprendizado descolado e divertido, transmitindo aos alunos conhecimentos essenciais para o mundo moderno, que converse com a realidade do estudante, despertando nele o desejo de ser protagonista de sua própria história.

         
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *