Autismo, escola e pais: como unir forças para realizar a inclusão?

Escolas e famílias
Leitura de 4 minutos
Por Luciana Brites
Psicopedagoga e psicomotricista, fundadora do Instituto Neurosaber

 

Falar sobre inclusão escolar é sempre um desafio para escolas e pais. Porém, é um assunto que precisa estar na pauta das escolas e famílias, porque a união delas é o que ajuda a promover a inclusão do aluno para que tenha o direito de ter uma vida acadêmica de sucesso.

 

Evidências científicas, na condução de indivíduos com autismo, orientam duas coisas muito importantes:

 

1 – Nenhum método de intervenção em autismo é eficaz se não tiver plena participação contínua dos pais, das escolas e das equipes que lidam com essas pessoas.

 

2 – As intervenções para crianças com autismo devem ser sempre voltadas de forma individualizada. Ou seja, se estabelecerem um currículo em uma escola, o estudante com autismo deve estar no centro desse conjunto de métodos que visam a uma educação satisfatória e que contribua com a intervenção do pequeno.

 

Dificuldades em encontrar escolas que abracem a causa da inclusão

 

A carga de custos e gastos de uma escola é um dos fatores que impedem uma inclusão adequada do aluno com autismo. A falta de preparação dos educadores e professores também é um fator. Sabemos que não é fácil manter uma escola, todos temos consciência disso.

 

Na escola pública, por exemplo, há muitas dificuldades estruturais que influenciam no processo de inclusão. Mesmo assim, na medida do que é possível, e perante aos direitos da inclusão da pessoa com autismo, é possível encontrar estratégias que ajudam na inclusão escolar. E diante a cenário, a participação dos pais é fundamental.

 

Quanto mais a comunidade e familiar conduzem a inclusão da criança, melhor funciona o processo

 

Sabemos que quando todos estão envolvidos no processo de inclusão, seja em qualquer transtorno do desenvolvimento, tudo flui melhor. Porém, no autismo isso não é uma sugestão, é uma regra.

 

Os pais, no caso, podem ajudar no processo até mesmo antes de a criança ser matriculada. Passar na frente da escola para a criança ver a movimentação. Visitar o local, as salas de aula e ficar um pouco mais de tempo alguns dias antes do início das aulas é muito importante.

 

Esse trabalho adaptativo, muitas vezes, nas escolas públicas é mais difícil. Isso porque o processo de acolhimento dessa criança ainda não é realizado com eficácia. Porém, é importante salientar que os professores, mesmo receosos, devem compreender como funciona esse processo. O compartilhamento de informações é fundamental.

 

Processo de adaptação a ser observado pelos pais

 

O processo de adaptação demanda um estudo dos pais perante aos problemas que afetam a criança, como comportamentos, déficits de desenvolvimentos, restrições que a escola tem com o aluno com autismo, entre outros. tudo deve ser apresentado pela equipe clínica e levado à escola.

 

Professor de apoio

 

Nem todas as escolas têm um professor de apoio. Porém, esse profissional especializado em inclusão é aquele que tem total conhecimento acerca das necessidades pedagógicas do aluno com autismo. É importante que as instituições de ensino tenham a ciência disso, e que contratem esses educadores, que são de extrema importância.

 

Material adaptado

 

O material adaptado deve existir. Porém, varia de criança para criança. É sempre levado em consideração as dificuldades que ela tem, para que o professor possa trabalhar esses pontos e estabelecer algumas metas que visem ao aprendizado do aluno.

 

Suporte das equipes multidisciplinares

 

As intervenções estruturadas no ambiente do consultório, assim como as que são realizadas na escola e em casa proporcionam um processo de inclusão muito eficaz à criança. É imprescindível que a escola saiba o que está sendo feito para, até mesmo, avaliar o que pode melhorar para o pequeno.

 

A Neurosaber

Não estamos nessa missão sozinhos. Por isso contamos com parcerias como a Agenda Edu para disseminar essa mensagem de transformação, e agregar ainda mais valor ao conhecimento científico. Você leitor, poderá conferir artigos escritos pela Neurosaber aqui na Agenda Edu e em nosso blog.

Veja mais!

Agenda de papel ou agenda digital: Qual a melhor solução de comunicação para su...
736
A agenda digital facilita a comunicação escolar e aproxima os responsáveis da rotina dos alunos.   As agendas escolares de papel desde sempre...
Alunos com TDAH – Quais estratégias trabalhar em sala de aula?
44
As aulas estão quase começando, e você já sabe como trabalhar com alunos portadores do Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)? Po...
Saiba como ter um planejamento escolar eficiente
1547
Um bom planejamento escolar ajuda professores, gestores e coordenadores a alcançarem os objetivos necessários em sua jornada pedagógica.   Ma...